Tamanho da fonte: A A A

Contraste: Libras:

Questionário aponta dificuldades de gestores da educação em Goiás

Resultado foi mostrado em reunião do Gaepe.

Baixa conectividade dos professores e alunos, dificuldade para a gravação de aulas, parte relevante dos currículos escolares para 2021 ainda não reorganizados e utilização de 75% dos endereços eletrônicos não institucionais. Esses são alguns dos principais problemas identificados pelo Gabinete de Articulação para Enfrentamento da Pandemia na Educação Pública em Goiás (Gaepe-GO) em questionário envolvendo os gestores municipais de educação pública no estado.

O resultado da enquete foi apresentado pelo auditor do Tribunal de Contas dos Municípios (TCMGO) Roberto Coutinho na última reunião do Gaepe, realizada semana passada. No encontro virtual, os gestores também revelaram angústias relacionadas à volta às aulas presenciais, em especial com relação ao transporte escolar, busca ativa dos estudantes e como utilizar as sobras dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

SEM INTERNET
Para se ter uma ideia da gravidade dos problemas enfrentados, Coutinho citou a questão da baixa conectividade, uma vez que a internet tem sido parte fundamental no processo de ensino em tempos de pandemia. “As escolas utilizam os aplicativos de mensagens, áudio e vídeo para repassar suas orientações, o que prejudica muitos alunos que não têm acesso à rede”, explicou.

Outros pontos citados foram que 49% dos professores não tiveram algum tipo de capacitação em 2020, 66% dos protocolos de segurança sanitário não foram concluídos e 48% das escolas não possuem infraestrutura adequada para o retorno presencial.

PLANEJAMENTO
Todos esses temas estão merecendo especial atenção do Gaepe no planejamento das ações para 2021. O gabinete aprovou as sugestões da Federação Goiana dos Municípios (FGM) de realizar reuniões com temas específicos de capacitação de acordo com as necessidades dos gestores.

O Gaepe-GO é uma articulação interinstitucional que reúne os tribunais de contas do Estado (TCE-GO) e dos Municípios de Goiás (TCMGO), Ministérios Públicos de contas junto ao TCE-GO e ao TCMGO e Ministério Público Estadual, Judiciário, Defensoria Pública, gestores e representantes de conselhos de educação, sob coordenação do Instituto Articule e do Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB).
Dicom/TCE-GO.